Amor incondicional

/
0 Comments

Jesus mostrou aos seus discípulos uma verdadeira lição de humildade; e não apenas de humildade, mas mostrou o que significa um amor verdadeiro e incondicional.

Jesus sabia quem era cada um deles. Ele conhecia suas mentes, sondava seus corações, suas intenções e sabia o que estava para acontecer nas próximas horas. Ele sabia tudo que estava por vir. 

Traição, abandono, renegação por parte daqueles que como Pedro, outrora afirmavam que dariam a vida por Ele. Palavras que foram levadas com o vento...

Mesmo tendo todos os motivos e razões, em nenhum momento Jesus deixou de amar. 

"...tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim." (João 13:1)

Ele amou o traidor e ladrão, amou aquele que o negaria, amou os que O abandonariam no momento mais difícil... 

Em nenhum momento os julgou, apontou o dedo, nem mesmo se afastou deles. Ele simplesmente amou. Incondicionalmente.

Jesus sabia que Judas o trairia e que ele era ladrão, mas até o fim manteve-o do Seu lado. Porque? 

Por que Ele queria salvá-lo. Não se consegue salvar ninguém julgando, criticando, condenando, jogando na cara de quem quer que seja os seus pecados. A única coisa que se consegue dessa maneira é causar feridas, magoas e afastar as pessoas de Deus.

Jesus poderia ter tirado Judas do seu lado assim que percebeu a sua falta de caráter, de compromisso ou então "jogar no ventilador" todas as suas sujeiras. Inclusive no momento da ceia, Ele teve oportunidade para isso. 

Imagina se Jesus revelasse aos demais discípulos que além de Judas ser o traidor, dissesse também que seria ele que conduziria a escolta que O prenderia e o levaria para ser morto? 

Se Pedro puxou a espada e feriu o servo do sumo sacerdote, quando Jesus foi preso, imagina o que ele faria com Judas? 

Pedro fez sinal para que o discípulo que estava próximo de Jesus pergunta-se quem seria o traidor e eu acredito que somente esse discípulo é quem soube, naquele momento, que seria Judas. 

Então Simão Pedro fez sinal a este, para que perguntasse quem era aquele de quem ele falava.
E, inclinando-se ele sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é?
Jesus respondeu: É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão.
E, após o bocado, entrou nele Satanás. Disse, pois, Jesus: O que fazes, faze-o depressa.
E nenhum dos que estavam assentados à mesa compreendeu a que propósito lhe dissera isto. (João 13:24-28)

Jesus decidiu amar Judas e ser paciente com ele até o fim.

Eu não acredito em predestinação. Embora tudo o que aconteceu com Jesus estivesse escrito na Palavra de Deus e teria de se cumprir, qualquer um poderia ter sido o traidor. Assim como qualquer pessoa pode ser salva, se tão somente crer em Jesus, entregar a vida para Ele e procurar viver a vida de acordo com a Sua vontade.

Mas o fato é que Judas não amava Jesus e também não queria ser salvo por Ele.

Ele conheceu a Verdade, mas não deixou que ela o libertasse. Amou mais a glória dos homens do que a glória de Deus e trocou a oportunidade de ter o verdadeiro tesouro, que é a salvação, por míseras moedas de prata. 

...como Judas tinha a bolsa, pensavam alguns que Jesus lhe tinha dito: Compra o que nos é necessário para a festa; ou que desse alguma coisa aos pobres.
E, tendo Judas tomado o bocado, saiu logo. E era já noite.   (João 13:29-30)

Jesus amou Judas até o fim e essa noite foi o fim para ele.

No capítulo 13 do livro de João, Jesus deixou para cada um de nós duas grandes lições. Ele deixou acima de tudo o exemplo.

Ele era o Senhor e Mestre, no entanto levantou-se da mesa onde acabara de comer, pegou uma toalha, uma bacia com água e passou a lavar os pés dos discípulos e a enxuga-los. Imagine como estavam esses pés...

Quando terminou de lavar-lhes os pés, Jesus tornou a vestir sua capa e voltou ao seu lugar. Então lhes perguntou: “Vocês entendem o que fiz a vocês? Pois bem, se eu, sendo Senhor e Mestre de vocês, lavei os seus pés, vocês também devem lavar os pés uns dos outros. Eu dei o exemplo, para que vocês façam como lhes fiz. Digo verdadeiramente que nenhum escravo é maior do que o seu senhor, como também nenhum mensageiro é maior do que aquele que o enviou. Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem. (João 13:12, 14-17 NVI)

Que tenhamos prazer em "lavar os pés" dos outros. Não apenas os pés cuidados por podólogos  mas os pés rachados, com frieiras, cheios de barro...

Jesus deixou também um novo mandamento. 

“Um novo mandamento dou a vocês: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”. (João 13:34, 35 NVI)

Há quem seja como Judas, como Pedro, como Tomé...Assim como eles, TODOS NÓS possuímos erros, falhas, pecados. 

Jesus ODEIA os nossos pecados, pois Ele sabe que isso nos afasta de Deus, impede que Ele ouça as nossas orações e nos faz caminhar para a morte eterna. 

O Seu desejo é que estejamos junto com Ele e o Pai e que sejamos um e que venhamos contemplar a Sua glória, por isso está sempre nos mostrando o caminho e a verdade através do Seu Espírito, que nos convence do pecado, da justiça e do juízo.

Ele ODEIA o nosso pecado, mas nos ama INCONDICIONALMENTE, a ponto de ser paciente com cada um de nós, até o fim. O que seria da nossa vida se não fosse esse amor?

P.S. Que lembremos do novo mandamento que Ele nos deixou todas as vezes que formos tentados a julgar alguém, a falar mal, criticar, desprezar... Jesus nos mandou AMAR.

Propósito de João. 21 capítulos. 21 dias meditando na Palavra de Deus. 


Leia também

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.