A letra tem matado muita gente!

/
0 Comments

Mas, no meio da festa, subiu Jesus ao templo e ensinava. E os judeus maravilhavam-se, dizendo: Como sabe este letras, não as tendo aprendido? Jesus respondeu e disse-lhes: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. (João 7:14-16 ARC)

Finalmente, os guardas do templo voltaram aos chefes dos sacerdotes e aos fariseus, os quais lhes perguntaram: “Por que vocês não o trouxeram?” “Ninguém jamais falou da maneira como esse homem fala”, declararam os guardas. “Será que vocês também foram enganados?”, perguntaram os fariseus. “Por acaso alguém das autoridades ou dos fariseus creu nele? Não! Mas essa ralé, que nada entende da lei, é maldita.” (João 7:45-49 NVI)

É sempre assim. Enquanto os religiosos, os "entendidos", os "doutores"da Bíblia se preocupam com diplomas, com títulos, em adquirir conhecimento da letra, eles não conseguem absorver o espírito. 

Eles conhecem a Bíblia "de cor e salteado". Sabem o que está escrito de Gênesis a Apocalipse. Sabem a linhagem de todos os reis de Israel. Decoram e repetem, sem faltar uma única vírgula, o que está escrito no Pentateuco. Tim tim por tim tim. Capítulo, versículo e referências. 

Mas todo esse conhecimento, - para os religiosos - na maioria das vezes, só serve para mostrar o quanto eles são "entendidos" e também para impressionar os outros. Praticar o que está escrito, que é bom, eles não praticam!

Pior é quando esses "entendidos" resolvem se "achar" e querem debater (para mostrar que conhecem a Bíblia de capa a capa).

Outro dia estava evangelizando com o grupo aqui da igreja e numa casa encontramos alguns "irmãos". No começo não sabíamos que eles frequentavam alguma igreja. 

Falamos de Jesus e depois os convidamos para participarem da reunião que haveria às 18:00, com a transmissão do Bp. Macedo. 

Eles ouviram, esperaram que nós terminássemos o convite e depois informaram que já eram membros batizados nas suas igrejas e começaram a falar mal da Universal, usando versículos e querendo debater a Bíblia conosco, dizendo que não tínhamos conhecimento e blá, blá, blá...

Sinceramente, não perco meu tempo debatendo Bíblia e nem religião com ninguém! Ainda mais que estávamos nas ruas evangelizando e o que não faltava eram pessoas sofridas precisando de uma palavra que transmitisse VIDA e não conhecimento teológico para elas. 

Eu fico imaginando Jesus ensinando no templo. Era impossível alguém cochilar durante os seus ensinamentos!

Os judeus se maravilhavam e não conseguiam entender como aquele homem, simples, que vivia no meio do povão, que não trajava vestes talares e que não havia *estudado, ensinava com tanta clareza (*acho que naquela época já deveria haver cursos e faculdades da Bíblia).

Os guardas, que foram enviados para prender Jesus, perceberam uma grande diferença na pregação Dele e na maneira como Ele anunciava a Palavra de Deus. 

Jesus não transmitia letra. 

Suas palavras eram espírito e vida. Provocavam uma reação dentro de quem as ouviam.

Ele dizia que rios de água viva passariam a fluir de dentro das pessoas sedentas que cressem e bebessem das Suas palavras. 

E o que mais há nesse mundo são pessoas sedentas. Sedentas não (apenas) de conhecimento, mas de VIDA. 

Enquanto os sacerdotes, os fariseus, os religiosos se preocupavam em transmitir e debater a Lei, Jesus transmitia a Palavra de Deus.

Aqueles que ouviam as palavras de Jesus e absorvia o espírito, entendiam que só Ele tinha as palavras de vida. E bebiam delas e eram saciados. 

Enquanto isso, os religiosos, os sacerdotes, os fariseus, os Mestres da Lei, ficavam "mordidos". Eles até sabiam e entendiam da lei, mas foi a "ralé", aqueles que talvez não tivessem conhecimento algum, que absorveram o espírito e encontraram Vida.

“Ninguém jamais falou da maneira como esse homem fala”, declararam os guardas. “Será que vocês também foram enganados?”, perguntaram os fariseus. “Por acaso alguém das autoridades ou dos fariseus creu nele? Não! Mas essa ralé, que nada entende da lei, é maldita.” (João 7:46-49 NVI)

P. S. Sei não, mas acho que foram os religiosos da época que Jesus andou aqui na terra que criaram o conceito de lavagem cerebral e também a expressão "Zé povinho" kkkkkk 

A letra mata, o Espírito é o que vivifica!

Propósito de João. 21 capítulos. 21 dias meditando na Palavra de Deus. 


Leia também

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.