A pior cegueira não é a dos olhos

/
0 Comments
Então os líderes judeus chamaram pela segunda vez o homem que tinha sido cego e disseram: — Jure por Deus que você vai dizer a verdade. Nós sabemos que esse homem é pecador. Ele respondeu: — Se ele é pecador, eu não sei. De uma coisa eu sei: eu era cego e agora vejo! (João 9:24, 25 NTLH)

Não foram apenas os olhos físicos do cego de nascença que foram abertos, mas também os seus olhos espirituais, foi por isso que ele conseguiu enxergar o que os religiosos não conseguiram - ou não queriam vê. 

[...] Nós somos seguidores de Moisés. Sabemos que Deus falou com Moisés; mas este homem, nós nem mesmo sabemos de onde ele é.  (João 9:29 NTLH)

Os fariseus faziam questão de afirmar que eram seguidores de Moisés e levavam ao pé da letra tudo o que estava escrito na lei e obedeciam a ela, não de uma maneira racional, mas cegamente.

Literalmente eles não enxergavam um palmo diante de seus narizes, por isso não aceitavam o Senhor Jesus e queriam sempre encontrar um meio, de acordo com a lei, de acusa-lo. (João 8:6 e 9:16)

Nem o testemunho daqueles que eram alcançados por Jesus (algo comprovado, fatos) conseguia fazê-los mudar de opinião. E também não gostavam quando alguém lhes mostravam a verdade. Eles se "achavam" superiores...

Ele (o que era cego) respondeu: — Que coisa esquisita! Vocês não sabem de onde ele é, mas ele me curou. Sabemos que Deus não atende pecadores, mas ele atende os que o respeitam e fazem a sua vontade. Desde que o mundo existe, nunca se ouviu dizer que alguém tivesse curado um cego de nascença. Se esse homem não fosse enviado por Deus, não teria podido fazer nada. Eles disseram: — Você nasceu cheio de pecado e é você que quer nos ensinar? E o expulsaram da sinagoga. (João 9:30-34 NTLH)

Hoje em dia também é assim. Alguns pessoas (religiosas) ficam tão orgulhosas dos seus "conhecimentos" e da sua suposta "comunhão" com Deus que chegam ao ponto de se acharem perfeitas, superiores; algumas não aceitam ser corrigidas ou contestadas por ninguém. 

Outras se pudessem nem tocavam o chão ou então viveriam envolvidas numa "bolha celestial", para não se misturarem com as demais pessoas que são cheias de pecados. Elas se acham tão "santas" e vivem julgando e condenando as demais pessoas pelos seus pecados ou falhas. Tem sempre um dedo (ou a mão inteira) apontado para os outros, mas esquecem de olhar para dentro de si mesmas.

Obs.: Ser santo significa procurar viver uma vida afastada do pecado, não significa que não tenhamos pecado. Todos nós somos falhos e TODOS nós pecamos e precisamos da misericórdia e do perdão de Deus todos os dias das nossas vidas. 


A pessoa religiosa acha que é "santa" - entre aspas mesmo. 


Ela acha que pelo fato de não beber, não fumar, não roubar ou matar, ir a igreja todos os dias, jejuar duas vezes na semana e dar o dízimo de tudo o que recebe é o suficiente e que isso a faz merecedora diante de Deus. Mas Ele é que bem sabe quem é ela... (Leia Lucas 18:9-14)

Jesus veio ao mundo para abrir os nossos olhos - não apenas os físicos. Ele veio para mostrar a verdade (inclusive sobre nós mesmos) e nos tornar livres - Verdadeiramente livres!

Livres do pecado. Livres da religiosidade e da cegueira espiritual que nos faz pegar em "pedras" para atirar nos outros e esquecer que também pecamos e precisamos de perdão...

Então Jesus se levantou e disse: —Quem aqui pode dizer que nunca pecou? Quem não tem nenhum pecado pode atirar a primeira pedra. (João 8:7 VFL)

Mas Jesus só pode ser o Salvador daqueles que se encontram (e se acham) perdidos. E Ele também só pode abrir os olhos de quem está cego (ou reconhece que está cego), mas deseja enxergar - e é humilde para reconhecer a sua condição.

Os religiosos ouviram várias vezes Jesus falar, presenciaram milagres, mas eles eram os piores tipos de cegos - Aqueles que não querem vê. Eram os piores tipos de escravos - Aqueles que não querem ser livres. Por mais que Jesus falasse com eles, a religiosidade deles era tanta, que os impediam de compreender a linguagem de Jesus.

O cego de nascença compreendeu a linguagem de Jesus. Logo no primeiro encontro. E antes que ele se lavasse no tanque de Siloé, seus olhos, inclusive os físicos, já tinham sido abertos. Jesus se revelou para ele e ele se tornou um homem livre.

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. [...] Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres. (João 8:31, 32 e 36 ARC)


E você? Deseja ser livre ou prefere continuar escravo de si mesmo, dos seus pecados, da sua religiosidade? Deseja enxergar a verdade ou prefere continuar cego? 

A verdade você já conhece. Agora, a escolha de se tornar livre, é sua...

Propósito de João. 21 capítulos. 21 dias meditando na Palavra de Deus. 


Leia também

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.