Refrigerante e queijo de maconha

/
0 Comments
Refri de maconha
O refrigerante que têm a maconha como matéria-prima é da empresa Dixie Elixirs, fabricante de produtos à base de maconha do Colorado, nos Estados Unidos. O produto é orgânico e está disponível em oito sabores diferentes, entre eles limão e uva.

Príncipe Canábico é o nome do queijo de maconha que pode ser comprado nos supermercados da Confederação Helvética (Suíça).

O produto é preparado na vila de Ecoteaux, no cantão de Vaud e nasceu da associação de um autorizado plantador de maconha com um sitiante que explora a venda de leite de vaca. A dupla levou cinco anos para chegar ao produto que passou a ser comercializado nos supermercados suíços.

Já pensou se essas “novidades” fossem comercializada aqui no Brasil?

Os fabricantes informam que esses produtos não possuem efeitos alucinógenos, mas ainda assim causam polêmica.

Efeitos da maconha no organismo
Ao chegar na corrente sangüínea, a maconha passa por todos os tecidos do organismo. As sensações experimentadas variam com o teor de Delta 9THC das preparações (que varia de acordo com a parte da planta utilizada e o modo como são preparadas), via de introdução e absorção do Delta 9THC. Os efeitos variam muito de indivíduo para indivíduo e dependem da personalidade e mesmo do grau de experiência do indivíduo no uso da droga.

Os efeitos são os mais diversos possíveis, a seguir listados, estão alguns efeitos e males causados pelo uso da maconha:

A curto prazo, os efeitos comportamentais típicos são:
  1. período inicial de euforia (sensação de bem-estar e felicidade, seguido de relaxamento e sonolência).
  2. quando em grupo, ocorrem risos espontâneos (risos e gritos imoderados como reação a um estímulo verbal qualquer).
  3. perda da definição de tempo e espaço: o tempo passa mais lentamente (um minuto pode parecer uma hora ou mais), e as distâncias são calculadas muito maiores do que realmente são (um túnel de 10 metros de comprimento. Pôr exemplo pode parecer ter 50 ou 100 metros).
  4. coordenação motora diminuída: perda do equilíbrio e estabilidade postular.
  5. alteração da memória recente.
  6. falha nas funções intelectuais e cognitivas.
  7. maior fluxo de idéias
  8. pensamento mais rápido que a capacidade de falar, dificultando a comunicação oral, a concentração, o aprendizado e o desenvolvimento intelectual.
  9. idéias confusas.
  10. aumento da freqüência cardíaca (taquicardia).
  11. hiperemia das conjuntivas (olhos vermelhos).
  12. aumento do apetite (especialmente por doces) com secura na boca e garganta.
Doses mais altas de podem levar a:
  1. alucinações, ilusões e paranóias.
  2. pensamentos confusos e desorganizados.
  3. despersonalização.
  4. ansiedade e angústia que podem levar ao pânico.
  5. sensação de extremidades pesadas.
  6. medo da morte.
  7. incapacidade para o ato sexual (até impotência).
A longo prazo, a extensão dos danos, bem caracterizados, se restringem ao sistema pulmonar e cardiovascular.
  1. maior risco de desenvolver câncer de pulmão.
  2. diminuição das defesas, facilitando infecções.
  3. dor de garganta e tosse crônica.
  4. aumenta os riscos de isquemia cardíaca.
  5. percepção do batimento cardíaco.
Observação:
A mulher que amamenta passa as toxinas da droga para a criança através do leite materno.

Fonte: AreaSeg.com

O Brasil enfrenta um grave problema com as drogas, seja a maconha, a cocaína, o crack, ou outros entorpecentes. Para se ter ideia, o número de usuários de crack hoje no Brasil está em torno de 1,2 milhão e a idade média para início do uso da droga é 13 anos.

Somente quem um dia foi viciado ou quem tem um familiar viciado, sabe o efeito devastador das drogas na vida daqueles que a consome e da dificuldade que a pessoa enfrenta para se libertar delas.
Com 14 anos eu recebi drogas de dois amigos dentro da escola. O interessante é que no morro nunca nenhum traficante me ofereceu droga, e dentro de uma das melhores escolas do Rio foi que eu experimentei e continuei usando, até os 18 anos. Às vezes os pais pensam que dando esporte e bom ensino vão livrar o filho das drogas, mas não é verdade.  
Eu experimentei uma e continuei…eu não me contentava só com um tipo de droga, comecei a usar maconha, cocaína, alucinógenos, pílulas; tudo o que aparecia eu usava… 

…passei a usar mais e mais drogas, pois parecia que elas não surtiam mais efeito. Fumava 20 cigarros de maconha por dia, cheirava 10 gramas de cocaína sozinho. A cartilagem do meu nariz ficou comprometida. 
Eu não me contentei só em usar e comecei a vender. E uma coisa leva à outra. Eu fui parar em uma quadrilha de pilotos de assalto, pessoas contratadas para roubar.
Esse relato é do bispo Guaracy Santos, atualmente responsável pelo trabalho evangelístico da Igreja Universal do Reino de Deus no bairro do Brás, zona leste de São Paulo (SP) e que teve a infância e adolescência marcadas por vícios e envolvimento com a criminalidade. Liberto das drogas, hoje ele tem levado a Palavra de Deus a milhares de pessoas. Confira a entrevista concedida pelo bispo Guaracy ao Portal Arca Universal.

O mesmo Deus pode fazer com o seu familiar, ou até mesmo com você que está lendo essa postagem e de repente está lutando para se libertar das drogas. Eu creio nisso! Deus pode transformar a sua vida!
Forte abraço


Leia também

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.