Eternamente grata


Enquanto ouvia d. Paula, uma obreira aqui da igreja, contar a história da sua vida, lágrimas vieram aos meus olhos por lembrar do grande amor e misericórdia que Deus tem para conosco.

Aos nove anos ela foi violentada por vários homens e aos dez ingressou na prostituição e permaneceu na "vida" por muito tempo. Ela contou que chegou a se envolver com cinco homens numa mesma noite e que foi humilhada e agredida de todas as formas. 

Não tinha onde morar e muitas vezes nem o que comer. Estava sozinha no mundo, pois seus pais haviam morrido e aos quinze anos nem documento tinha. Não sabia ler, nem escrever. Engravidou e cada um dos seus filhos (três) tem um pai.

Ao chegar na Universal estava totalmente destruída. Querendo matar seus filhos, desenganada, pois devido a promiscuidade adquiriu um câncer e chegou a perder um dos ovários. 

Para o mundo ela era considerada uma mulher sem valor, mas para Deus ela tinha um grande valor e foi por isso que Ele transformou a sua vida. 

Hoje d. Paula tem muito a agradecer a Deus pois foi liberta da prostituição, dos traumas, curada do câncer, conseguiu criar os seus filhos e lhes dá uma vida digna e até aprendeu a ler e escrever! No próximo ano irá concluir o ensino médio - aos cinquenta e nove anos.  

Eu também tenho muito a agradecer a Deus. 

Não fui abusada, não me prostituí e nem cheguei na igreja doente ou com a vida destruída. Aos dez anos aceitei Jesus como meu Senhor e Salvador e fui batizada nas águas. Aos quatorze tive o meu encontro com Deus e fui batizada com o Espírito Santo. Aos quinze fui levantada a obreira. Aos dezanove me casei e passei a fazer Obra de Deus no Altar . Há vinte e seis anos vivo para Ele. 

Sou feliz, tenho paz, saúde, um marido fiel e que me ama e como já disse, vivo para Deus, para levar a Sua Palavra àqueles que estão sofrendo, perdidos, no fundo do poço, como um dia d. Paula também esteve. 



Mas a minha história de vida poderia ter sido diferente...

Agradeço a Deus por Ele ter me tirado desse mundo podre. Por ter resgatado e preservado a minha alma. Por me guiar e conduzir os meus passos na Sua direção. Por me amar, mesmo sem eu merecer. Por ter me dado a salvação. 

Sempre que converso ou ouço histórias de vida como a da d. Paula, me coloco no lugar dessas pessoas e encontro motivos para agradecer a Deus, pois o que seria de mim sem Ele? Onde estaria nesse momento se não O tivesse conhecido? Como seria a minha vida? 

Talvez fosse como a da d. Paula antes de conhecer Jesus. Talvez fosse pior. Talvez nem viva estivesse...Como poderia não ser grata a Deus?  


Postar um comentário